iBOM | Prefeitura cogita rescindir o contrato com a Copasa



140x140
Bom Despacho (MG), 11 de dezembro de 2017

Prefeitura cogita rescindir o contrato com a Copasa

Publicado em 10/10/2017 00:01:32

FERNANDO CABRAL - Faz tempos que a Copasa tem deixado a desejar com Bom Despacho. Temos problemas com o tratamento de esgoto, com a recomposição do asfalto, com o abastecimento de água. A crise que estamos passando mostrou que também temos problemas com o despreparo da Copasa para enfrentar contingências.

Em 2009 a Prefeitura renovou a concessão com a Copasa. Infelizmente, o contrato foi malfeito. Muito malfeito. A Copasa ficou com todos os bônus e o cidadão bom-despachense com todos os ônus.

Por exemplo, o contrato deixou de fora o fornecimento de água aos povoados. Todos.

Também deixou de fora a coleta e tratamento de esgoto de todos eles. Mesmo no caso do Engenho do Ribeiro, que é um distrito já bem grande, a coleta e o tratamento de esgoto ficaram de fora. Com isto a cidade saiu perdendo.

Em 2013, com muito atraso, a Copasa colocou em operação duas estações de tratamento de esgoto. Apesar disto, 25% do esgoto da cidade continua sem tratamento. Isto acontece porque a Copasa, em mais de 6 anos, não conseguiu construir a estação elevatória do Córrego da Areia, entre os bairros Babilônia e Fátima.

Com relação ao abastecimento de água, já faz muitos anos que a Copasa deveria ter perfurado poços artesianos para atender seus clientes em caso de secas mais prolongadas. Também deveria ter apresentado um projeto de captação de água em fontes alternativas, como o Rio Lambari e o Rio São Francisco. Contudo, não o fez.

Mas não é só isto.

A empresa não colocou reservatórios para atender a bairros de difícil abastecimento, como o São Vicente e o Belvedere.

Durante a falta d’água atual, também ficou claro que a empresa não tem um plano de contingência. Estes planos são essenciais para que as empresas possam enfrentar momentos de crise. Mas, como a Copasa não estava preparada, o que vimos foi um infindável bater de cabeças enquanto a crise se aprofundava.

É por todos estes motivos e muitos outros que a Prefeitura está considerando romper o contrato com a Copasa. No momento, a proposta que mais avança é a criação de uma empresa municipal que possa substituí-la.

Com esta empresa pessoas de Bom Despacho cuidarão dos interesses de Bom Despacho. Não receberemos ordem de fora e não pagaremos conta cujos valores são determinados em Belo Horizonte e não aqui.

Fernando Cabral é advogado, auditor federal e prefeito reeleito de BD



Rua do Rosário, 72 – Centro – Fone (37) 3522.2361 – Bom Despacho - MG
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal de Negócios.